a>
  

"Uma semana que já dura 5 meses"


Em setembro do ano passado, em pleno período eleitoral, o prefeito de Ceará-Mirim prometeu que inauguraria em 01 semana o telecentro digital na Área de Lazer do Conjunto da COHAB que já se arrastava por mais de 01 ano . Cinco meses depois do "compromisso" assumido, nenhuma explicação sequer foi dada explicando os motivos que estariam "impedindo" o governo de inaugurar esse telecentro.

Esses telecentros fazem parte de um programa de inclusão digital do governo federal, porém é de responsabilidade do município inaugurar e manter em funcionamento. Os recursos estão disponíveis há mais de um ano.



Escrito por Equipe Fala Ceará-Mirim às 08h04
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Fala Ceará-Mirim indica...



Escrito por Equipe Fala Ceará-Mirim às 00h40
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Fala Leitor


Falando em dengue, diante desta infestação do mosquito que assola a nossa cidade, já pensou se os pobres mosquitos tivessem o sangue mal do nosso secretariado e do prefeito? pois é, pela primeira vez a criatura se volta contra o criador. O prefeito criou os mosquitos da dengue mas os mosquitos estão se recusando a nos picar, isso é um bom sinal, só falta agora expandirmos essa revolta da dengue com o seu criador em todos gabinetes dos secretários, e ai vai um mosquito chefe dizendo; não piquem mais o povo, pois não tem médicos nem remédios no hospital. E ai,eles terão que dar toda uma estrutura para os mosquitos atuarem livremente. Sem investimento não vai, até os pobres mosquitos se cansam de tanta promessa. 
José Roberto | jr-rolim@bol.com.br |  18/02/2011 10:55



O PT de Ceará-Mirm é fraco não conseguiu segurar o grande Etewaldo Júnior, rapaz de bem, sociólogo, politicólogo e bem intencionado. Excelente perfil para ser prefeito de Ceará-mirim!!! Atenção PT!!! Essa turma atual é arengueira e desumana só pensam em um grupo que não chega em canto nenhum!
Juca | fernandojunior@terra.com.br |  20/02/2011 14:32


Nota de Etevaldo Junior:

Amigo Juca, muito obrigado pela referência ao nosso nome. Deixar o PT em 2005 foi uma decisão pessoal minha, por acreditar que o PT havia perdido a sua capacidade transformadora de mudança social. Tenho um enorme respeito pelos companheiros que lá deixei. Ajudei a construir esse partido, o qual militei desde os meus 12 anos de idade e o refundamos em Ceará-Mirim no ano de 1998. Torço pela sua renovação e que volte as suas origens de esquerda, pois tem uma grande história luta em favor da sociedade. Um abraço.

 



Parabenizo a esta campanha do PT, uma boa campanha.mas se os membros petistas me permitem,vai uma dica:trabalhem a humanização dos membros deste partido,sejam felizes em suas militações.respeitem-se!é só isso.
José Roberto | jr-rolim@bol.com.br |  18/02/2011 11:00


 


Participe, envie seu comentário.



Escrito por Equipe Fala Ceará-Mirim às 10h33
[] [envie esta mensagem] []


 
  

 

FÓRUM PROMOVE PLENÁRIA NESTA SEGUNDA-FEIRA


O Fórum Municipal em Defesa de Ceará-Mirim promoverá uma plenária popular nesta segunda-feira (dia 21/02/2011) a partir das 19 horas, na Escola Estadual Ubaldo Bezerra.

Participem!

 



Escrito por Equipe Fala Ceará-Mirim às 22h57
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Construção em local inapropriado prejudica comunidade


Há cerca de dois meses atrás, o Conselho Comunitário do Conjunto da COHAB organizou uma assembléia geral com os moradores e representantes da prefeitura para, entre outras coisas, alertar sobre o problema de se construir uma obra pública sem se quer ouvir a comunidade.

Foi feita uma referência direta ao local da creche do Governo Federal que está sendo construída numa área de escoamento de águas das chuvas.

O próprio secretário de infraestrutura admitiu que o local não era o mais adequado, mas ele tinha acabado de assumir o cargo, e obra já estava em andamento.

Apesar do alerta as autoridades, nada foi feito. O resultado são os constantes alagamentos que vem ocorrendo, causando diversos transtornos a comunidade.



Escrito por Equipe Fala Ceará-Mirim às 22h26
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Ceará-Mirim

Tratamento do lixo não é adequado

O funcionamento do aterro sanitário situado no distrito de Massaranduba, no município de Ceará Mirim e distante 22 quilômetros de Natal, voltará a ser questionado na Câmara Municipal, porque a empresa Braseco encarregada de sua operação, não está fazendo todo o tratamento do lixo, principalmente, a queima do gás metano e de outros gases poluentes da atmosfera.

Crédito da foto: Alex Régis

Aterro que recebe lixo de Natal não realiza todo o processo de tratamento dos resíduos sólidosAterro que recebe lixo de Natal não realiza todo o processo de tratamento dos resíduos sólidos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O diretor-presidente da Braseco, engenheiro de Minas Henrique Muniz Dantas, recebeu a equipe da TRIBUNA DO NORTE no aterro sanitário de Ceará Mirim, onde admitiu, realmente, que não está fazendo a queima do gás metano “por questão de segurança”, pois as bocas dos “flaires” - tipo de canalização que vêm do interior das células de lixos aterrados - ainda não possuem interligação com um sistema único, uma espécie de usina, em que se faça à queima do metano e outros gases. Henrique Dantas disse que a Braseco  está negociando com uma empresa estrangeira – não quis divulgar o nome porque tudo ainda está na fase inicial – para dotar o aterro sanitário de um sistema de queima do gás de forma a ser reaproveitado como gerador de energia. 


Como a empresa não tem aporte financeiro para bancar o projeto sozinho, ele disse que uma associação com essa empresa estrangeira será possível captar os recursos necessários a sua implantação, cerca de US$ 2 milhões. Essa deficiência no tratamento do lixo deverá ser discutida em audiência pública proposta pelo vereador Fernando Lucena. Ele disse que já nesta segunda-feira (21), vai propor à mesa diretora da Câmara Municipal a realização de uma audiência pública para debater o que ele classifica de “crime ambiental”.

Para Lucena, da maneira que o chamado aterro sanitário está funcionando, “não passa de um simples lixão onde os resíduos sólidos estão sendo enterrados”, com apenas uma diferença do antigo “lixão” de Cidade Nova, em Natal - a ausência de urubus e catadores de lixo: “Enterrar o lixo  é o mínimo, por isso o urubu vai embora”. 

Na opinião de Lucena, a prefeitura de Natal “está pagando uma fortuna para ter um aterro controlado”, e acusa a Braseco de estar contribuindo “para um desastre ambiental gravíssimo”, porque a produção de gás “é 90% responsável pela poluição”. Além de não queimar o gás metano, Lucena afirma que o aterro não está realizando o tratamento adequado do chorume - líquido poluente, de cor escura e odor nauseante, originado de processos biológicos, químicos e físicos da decomposição de resíduos orgânicos. 

Henrique Dantas rebateu essa informação, chegando inclusive a mostrar à equipe da TRIBUNA DO NORTE os tanques para onde  é escoado o chorume. Ele disse que não há problema de vazamento e que não existe nenhum furo no plastico especial que reveste a camada do solo. Segundo ele, depois de passar por decantação, o chorume volta para dentro das células, no ciclo de ida e volta para facilitar a sua depuração no interior do  aterro. “A água que a gente bebe é daqui mesmo do aterro”, contou ele, para atestar a qualidade no tratamento dado ao lixo no aterro sanitário. Na área, existes poços tubulares cuja água é testada regularmente por uma empresa de Fortaleza (CE).

Dantas ainda explicou que das duas balanças existente no aterro sanitário, só uma estava funcionando porque a outra  estava aguardando reparos, mas disse que uma só dava conta do serviço, embora por ocasião da visita da equipe da TRIBUNA DO NORTE  pelo menos cinco caminhões carregados de lixo esperavam passar pela balança.

A TN ouviu o Instituto Estadual de Defesa do Meio Ambiente (Idema-RN), o qual respondeu, por intermédio de sua assessoria de imprensa, que vai mandar uma fiscalização para o aterro sanitário. O órgão informou, também, que a Braseco já pediu a renovação da licença ambiental e que enquanto o processo continua em tramitação, continua valendo a atual licença ambiental. Fundada em 1995, a Braseco é a empresa que opera o Aterro Sanitário da Região Metropolitana de Natal. Através de uma licitação, ganhou em 1996 a concessão para tratamento e destinação final dos resíduos sólidos urbanos, em especial do município de Natal, por um período de 20 anos.

O Aterro Sanitário começou a receber lixo, efetivamente, em 25 de junho de 2004, nove anos depois de vencida a licitação, após superar uma série de entraves operacionais, burocráticos e políticos.

A falta de um local adequado para a instalação de um Aterro Sanitário em Natal levou a obra para o município de Ceará-Mirim, a 22 quilômetros da capital, em uma área com 90 hectares no distrito de Massaranduba.


# Fonte: Tribuna do Norte



Escrito por Equipe Fala Ceará-Mirim às 11h09
[] [envie esta mensagem] []


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 

NOSSO E-MAIL
falacm@bol.com.br

Acesse o site de Etevaldo Junior

HISTÓRICO



>>> LINKS ATUALIZADOS

 Etevaldo Junior
[Sociólogo e Cientista Político]

 Movimento Ceará-Mirim Minha Cidade Eu Governo
 Goto Seco
 Twitter CEARÁ-MIRIM/RN
 SINTE - Ceará-Mirim
 Iran Costa
 João André
 Tá errado a gente mostra
 Educação é a solução
 Navegantes
 Fernando Siqueira
 Ceicinha Câmara
 Anderson Severo
 Blog de Ceará-Mirim
 Retratos e Canções
 Ministério Público - Ceará-Mirim


VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!


Loading






XML/RSS Feed
rss
CATEGORIAS
Todas as mensagens
 ARQUIVO FALACM 2 anos